Curso de Ciências Econômicas volta a ser ministrado pela Fundação Santo André em 2023



  • Delegado do Corecon-SP na região do ABC, Antônio Fernando, apoia reformulação da grade curricular

  • Matriz do curso foi atualizada para se adequar às mudanças econômicas atuais


O Corecon-SP, todos os Economistas, especialmente da região do ABC, e os jovens interessados em cursar Economia estão comemorando a reabertura do Curso de Ciências Econômicas na Fundação Santo André (FSA).


A partir de 2023, os alunos terão novamente a oportunidade de optar pela Economia nesta universidade, o que resulta em valorização da profissão, preservação da história e a continuidade da oferta de um curso que contribui para entregar ao mercado profissionais altamente capacitados em Economia. As inscrições para o vestibular já estão abertas no site da instituição - https://www.fsa.br/graduacao/ciencias-economicas/


Para demonstrar de que forma a Fundação superou os momentos difíceis e como se reestruturou até a obter essa conquista, o Corecon-SP foi conversar com o delegado regional que representa o Conselho na região do ABC, Antonio Fernando Gomes Alves e o coordenador do curso, Prof. Orlando Dal Degran Junior.


O Corecon-SP, por meio da dedicação, do engajamento e da influência positiva do seu delegado que atua na região, contribuiu para a atualização e a reabertura do curso.

Eles contam que a grande lição aprendida é que o curso precisava realmente passar por mudanças e atualizações em relação as suas diretrizes curriculares para acompanhar as transformações que estão acontecendo no mercado regional e também global, especialmente em termos de inovação e tecnologia.


Confira o nosso papo com eles:


Por que houve o fechamento do curso?


Orlando: Nos últimos anos o número de alunos vinha diminuindo e, infelizmente em 2018 e 2019 nós não conseguimos atingir o mínimo de estudantes para que o curso se sustentasse. Essa era uma realidade que estava acontecendo também em outras universidades. A problemática era: por que os jovens não estão se interessando e escolhendo a carreira na Economia? Em 2021, o curso estava em vias de extinção definitivamente junto ao MEC (Ministério da Educação).


Que importância que esse curso tem para a faculdade e a região?


Orlando: A Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas (FAECO) foi a primeira escola de ensino superior da região do Grande ABC. Então é o curso mais antigo da Fundação Santo André, por isso, ficamos tão chateados com o encerramento das aulas.


Antonio Fernando: O curso é tradicional, faz parte da história econômica no ABC Paulista. Muitos economistas, secretários, diretores financeiros passaram por aqui e levam o nome da nossa faculdade para as suas carreiras de sucesso.


Como foi planejada a reabertura do curso?


Orlando: Esse ano, de 2022, o delegado Antonio, que é nosso professor do curso de Economia aqui na FSA, nos trouxe uma pesquisa, um estudo de remodelação realizado com o apoio de professores, coordenadores e de toda a reitoria, além de representantes de empresas e outras instituições, todos com o objetivo de trazer e apresentar um o curso "renovado". Decidimos reformular a grade do curso, deixando mais atualizado porque identificamos que isso era fundamental para voltar a despertar o interesse dos alunos para uma profissão com tantas possibilidades.


De que forma a Delegacia Regional do Corecon-SP ajudou nesse processo da volta de oferta do curso?


Antonio Fernando: Sou professor da Fundação desde 2019. Mas, minha história aqui começou antes. Eu fiz parte da última turma de Economia. Por isso, aliás, lamentei tanto o fechamento do curso. Com a minha ida para a delegacia do Corecon-SP foi possível realizar um trabalho de aproximação com essa e outras instituições de ensino para entender qual era o cenário; compreender as necessidades e de que forma poderíamos colaborar para que o curso continuasse em vigor.


Quais foram as providências da Delegacia?


Antonio Fernando: Foi preciso analisar as diretrizes curriculares exigidas pelo curso e, claro, as necessidades da nossa região. Foi uma ação conjunta com a Universidade para as contribuições mais adequadas às mudanças econômicas que estamos vivenciando no ABC e em todo o país. Consideramos esse momento sem o curso como até uma "parada estratégica", para retornarmos ainda melhores, com um curso que faz parte da memória acadêmica da instituição.


Fale mais sobre como os senhores avaliaram o interesse dos alunos pela área de Economia e como concluíram, após todos esses levantamentos técnicos, que as vagas do curso voltariam a ser preenchidas.


Antonio Fernando: Um importante trabalho de interação com alunos do Ensino Médio já era realizado pelo ex-delegado do Corecon-SP aqui no ABC, o economista José Carlos Garé. A delegacia tinha esse contato estreitado com as instituições, realizando palestras, falando sobre a profissão de Economista. Essa atuação continua e é ela que irá nos ajudar a sempre mostrar as oportunidades que a Economia oferece. Nós observamos também um cenário favorável para o curso de Economia que fica mais em evidência, devido à atual conjuntura econômica do Brasil, a situação pós-pandemia, que chama a atenção de todos para um curso que formará Economistas que são fundamentais para o desenvolvimento das cidades, dos Estados, do país.


Os alunos se interessam, muitas vezes, pelos cursos nas áreas de Finanças, Administração, Controladoria, optando por estes e não pela Economia. Comentem.


Orlando: Sim, isso é uma realidade, mas não há concorrência. O que deve haver é uma interação, pois são áreas que se complementam, uma agrega a outra. Sendo assim, uma das mudanças que precisávamos realizar na FSA é possibilitar que o estudante entre num curso de Gestão Financeira, por exemplo, e depois migre para Economia ou vice-versa. Essa é uma dinâmica interna que acontece muito dentro das instituições e aqui não pode ser diferente. Dessa forma, a instituição atrai e fideliza o aluno, evitando desistências ou egressos. Esse 'cruzamento' é importante.


O curso já está aberto ou ainda está em algum processo de avaliação?


Orlando: Já foi aprovada no Conselho Universitário a reabertura de vagas agora para 2023 diante dessa nova matriz que nós montamos. Uma matriz bem atualizada, cumprindo todas as diretrizes nacionais de curso e com um viés bem moderno para o mercado financeiro.


Que outras disciplinas foram atualizadas ou inseridas na grade curricular para trazer o que há de mais novo aos alunos?


Orlando: Colocamos tudo que sabemos que gera interesse, como mercados criptoativos, inteligência artificial, big data, e-commerce, metaverso, entre outras novidades, sem perder a essência do curso de Economia.


Antonio Fernando: Vale complementar aqui que quando falamos de mercado financeiro e economia monetária parece que o Economista só lida com dinheiro. Mas na verdade é preciso desenvolver muitas outras habilidades. Economista deve entender de gestão, de equipes, de condução de processos. A técnica é importante sim, mas hoje, na Economia, é preciso conhecer de tudo, como economia brasileira, formação histórica, processos históricos de formação, vertentes da economia mais heterodoxa, economia e inovação, perícia econômica. Tudo isso abre as portas do futuro mercado de trabalho.


Quando começa a ser divulgado o processo seletivo da Fundação Santo André (FSA) para 2023?


Orlando: A partir do dia 03/10/2022 já estará liberado o processo seletivo para o curso. Nós agradecemos o apoio de todos e desejamos sucesso aos nossos alunos.

125 visualizações0 comentário